4 de fevereiro de 2009

TEMPO ...


"Anos 70. Meus pais não me permitiam algum tipo de incômodo. Me buscar ou me levar em alguma balada à noite , podia esquecer. Eles optaram por tentar me segurar em casa, e se quisesse realmente sair, tinha que montar um esquema tático social com pais mais liberais que os meus , uma vez que “ficaria falada” se entrasse no carro de algum amigo..."


Você é maluca ? Deixar teu filho freqüentar um bar de drogados???!!!! O ano de
1998 estava tão perto do 2000 e tão longe dos meus sonhos de menina, onde o respeito e a inexistência de prés julgamentos deveriam ser a nova ordem da nova era.
Divorciada desde que Ian completara 3 aninhos, eu sentia agora , com ele aos 13 e uma paixão intensa pelo rock , o desconforto de sabê-lo sozinho nas noites , noites nas quais eu, tão sozinha quanto ele ,esperava ansiosa o toque mágico do telefone :”-mãe, vem buscar a gente? ... "
Eu saia correndo para o carro – as vezes de pijama mesmo – para buscá-lo; era lei:ele sempre combinava com 3 ou 4 amigos ,também adolescentes , para eu deixar cada um na sua casa , onde os pais dormiam relativamente tranqüilos , “- Já que estão com a Cris...” . Lembro-me que aos 17 anos - e já tendo amigos com carteira de motorista, que as vezes faziam meu papel de trazê-lo são e salvo, a minha música preferida nas madrugadas de sextas e sábados era a chave girando no tambor da fechadura.
Respeitar um jovem e simultaneamente cumprir o papel de pai ou mãe é um grande desafio; a vida me deu os dois papéis : pai e mãe. Foram muitas noites em claro `a espera de um telefonema ou do solavanco metálico da chegada do elevador . Noites de agonia, somente e deliciosamente compensadas pelas nossas conversas confidentes na cozinha até clarear o dia, vendo-o tomar com prazer um Nescau quente , pão e manteiga.E muito feliz
___________________________________________

Dois selinhos, dois carinhos. De uma flor poeta,de alma serena. Serena Flor é seu nome.Obrigada , querida , um grande beijo.




Amo esse movimento de poetas aquí.

Mais um selinho de carinho. Recebí da minha amiga Lola , com quem já conversei muito e é dessas lindas bonita por dentro e por fora. Obrigada, querida, desculpa a confusão e a demora, ok?


Pessoal, um excelente fim de semana pra todo mundo e até a próxima!

37 comentários:

Bia Pontes disse...

Você me emociona.
beijo, minha querida.

Esquadros disse...

Soa delicioso ser mae, nao facil mas saboroso!!!!

Beijinhos Cris

Boa Semana Menina!!!

Jonice disse...

O tempo... é... o tempo...
O tempo que você mede no relógio de teu coração, no calendário de tua alma. Tão diferentes da "folhinha" das paredes da vida, ou dos ponteiros desapontados das sociedades. You're beautiful.

Beijo, querida :)

valter disse...

Cris,
falo como pai agora. A Aninha sempre foi cuca fresca quanto a isso. Eu ficava na janela. Morávamos numa casa assobradada em virtude do terreno em desnível. Da janela de meu quarto eu via os ônibus que desciam a avenida. Rezava, mudo, segurando a respiração até que via o "mardito do muleque" descendo. Depois escutava o barulho da porta da cosinha se abrindo e ele entrando, sem pressa. Lá se fora mais uma noite de sono. Madrugada, quase dia eu ia tentar dormir ao lado da Aninha que percorria outras paragens. Carrego a insônia até hoje. Não, não culpo o Pablo. Mas foram muitas, incontáveis.
Beijo, menina

Márcia(clarinha) disse...

Querida, fui mãe acompanhada de um pai presente e éramos dois a perder o sono, dividíamos a ansiedade, mas permitimos que nossos meninos[são 4] levassem sua vida normalmente, sem medo de pré julgamentos, sempre com a verdade, assim passamos a fase conturbada mas muito feliz.
Faz parte do processo, rss

lindos dias flor
beijos

*sobre sua pergunta no blog eu deixei a resposta lá nos comentários...rss

Esquadros disse...

Obrigada viu pela dica, vou checar o Blog dela...beijinhos

Serena Flor disse...

Você agora me emocionou, pois com este teu relato me identifiquei e muito!
Tenho um sobrinho adolescente que crio como filho desde que nasceu e olha que as preocupações são tão frequentes que acho até que vou ficar doida!
Mas é uma preocupação tão gostosa de sentir que quando ele ficar adulto e for tomar o seu próprio rumo na vida, tenho certeza que sentirei a maior falta!
Tocou meu coração de verdade minha amiga!

Quase esqueço de dizer o motivo da minha visita...rsrs
Tenho dois selinhos destinados a você. Caso queira e goste é só pegá-los ok?
Um grande beijo amiga Cris.

Flor ♥ disse...

Oi, Cris... este teu texto fala tanto por mim quanto por tantas outras mães. Noites de espera, recompensadas pela certeza de que é o preço que pagamos pelo respeito aos filhos!

Falaste e calaste em meu coração!

Beijos!

Jacinta Dantas disse...

Preparar uma pessoa para a vida, respeitando sua individualidade...
Eis o desafio. Não há receita pronta, mas princípios básicos que norteiam o caminho.
Amor, carinho, respeito, cuidado, carinho...
Amei o texto
Beijo

Aninha Pontes disse...

É isso Cris querida, extamente assim.
Se não temos disponibilidade para ser pais, melhor que não sejamos, porque não é fácil, você educar, principalmente nos dois papéis.
Eu com o a Clarinha, tive uma grande presença, para dividir os momentos de angústia.
Que bom que a fase mais difícil passou.
Embora, desde que optamos por ser mães, nunca mais nossa vida será só nossa. Haveremos sempre de querer sofrer por eles, de protege-los sempre, sem importar a idade.
PS: Não sou tão cuca fresca assim como o bem falou. Sou mesmo é de sofrer calada e só.
Beijos

Adelino disse...

Cris, costumam dizer que todas as famílias são iguais só muda o endereço. É mais ou menos assim, fazíamos a mesma coisa, buscando os filhos nas festinhas geralmente de aniversários. E fazíamos questão de dar uma olhada no ambiente chegando mais cedo. Sem problema algum. Diálogo franco.
O seu depoimento foi emocionante.
Abraços. Feliz semana.

Cris disse...

Oi, Bia, querida

Acho então que somos a boa farinha do mesmo saco, hein?

beijão, linda.

Cris disse...

Oi, Prisci, lindinha...

Como tudo na vida: o lado doce e o amargo. No meu caso, a maternidade me traz até hoje tanta alegria que passo batido nas tristezas... beijo, flor.

Cris disse...

E como sabemos disso, não Joca??? Tres vivas à maturidade, linda!!!

Beijos, e olha, a Prisci lindinha vai até o teu sítio cool demais...

kisses...

Cris disse...

Oi, Valter, queridão...

Já ví a defesa da tua linda aí embaixo...rsrsr.mas olha, homem, quando dá para ser preocupado, consegue nos suplantar.

Beijos para voces.

Cris disse...

Oi, Marcia, minha Luz:

Sorte e beleza a tua maternidade, viu? Merecimento, minha cara.

Muitos beijos proce.

Cris disse...

Oi, minha poeta serena ...

Sei sim, que te emocionei. Vários posts me pego chorando no final...rsrs..legal essa vida, viu?

beijo , minha amiga.

Cris disse...

Oi, Flor...

Esse post foi delicioso e compensador:as poetas e mães fizeram-se presentes. Amei, isso.

beijo, linda.

Cris disse...

Jacinta,

Agora, sim, quase fiquei metida. Que bom que voce gostou, linda. E que bom ter voce aquí.

beijão, querida.

Cris disse...

Oi, Aninha...

Todo amor requer disponibilidade, não é? O incondicional , então, nem se fale. Mas vale muito a pena .Hoje, por exemplo, meu filho como marido e profissional atuante , precisou de uma daquelas conversas que tínhamos na cozinha, de madrugada. Só que foi pelo telefone e sem o Nescau...

Beijo, linda.

Cris disse...

Adelino,

Voce chegou aquí no CRIS e arrasou, sabia? Franqueza, equilíbrio, carinho. Ingredientes para uma amizade consistente. Voce percebeu que grupo forte de mulheres por aquí???

Obrigada pela presença, tão necessária.

beijão e bom fim de semana também.

Dora disse...

Minha querida amiga! Os tempos nossos eram difíceis prá nós, como adolescentes e jovens...Depois que crescemos, os tempos ficaram difíceis para nós, como "amadurecidos"...Eita, Cris! Nossa geração padece sempre! rs
Mas, eu esperava meu filhão, como você,nas noites de balada. Entretanto, diferente de você, eu dividia com o Luiz. E fazia, mais ou menos como a Aninha...dormia...rs
E, assim como a Aninha, eu não sou "cabeça fresca". É do meu temperamento ser mais racional, às vezes. Ficar acordada, mudava alguma coisa?
Já o Luiz fazia como o Valter.
Viu que casais parecidos? rs
Beijos para essa Cris-pai-e-mãe, que ela merece!
Dora

Lola disse...

Foi mais que merecido o carinho e obrigada pelos elogios. Quase acreditei no linda por fora,rsss...


Beijão!!!

PS: Você sabe um tipo de árvore que não tenha raíz grande, não cresça muito, não encha muito e que uma pessoa possa plantar na calçada? Pensei em palmeira, tem uns tipos menores... Ayuda.........

adelaide amorim disse...

Um papel difícil, Cris, que você desempenha com tanta sensibilidade e tanto amor que dá gosto de ver. Se todos os pais e mães pudessem ser assim, o mundo tenderia só a melhorar.
Beijo grandão.

Jens disse...

Oi Cris.
Ser mãe e padecer no paraíso. A primeira vez que dormi fora de casa, sem avisar, minha mãe acionou a polícia, o pronto socorro e os bombeiros, para contrariedade do pai que, corretamente, intuiu que o então jovem lobo (que saudades da aurora da minha vida) apenas esticara a caçada madrugada adentro.
Um beijo.

Cris disse...

Pode acreditar, Dona Lola, que coisa! rsrsr

Olha, tanto Cerejeira ornamental como Ipê-rosa-anãoou ainda Resedá são ótimos para cidade e chegam a 4,00metros e são consideradas de pequeno porte, viu??

Beijão, lindinha.

Cris disse...

Dora... rsrsr o "biotipo" é o mesmo da Ana e do Valter, né??? rsrsrs.

Tempos difíceis sim, da nossa geração, linda , e tão hipócritas!

Beijo , minha querida, e obrigada por tudo , tá bom???

Cris disse...

Oi, Adelaide,

Papel sobrecarregado, eu diria, mas que , como todos difíceis, o resultado é compensador!!!

Beijão pra vc.

Cris disse...

Oi Jens ,

Nossa, também a Aurora??? Isso é que é lobo!!!

Beijo

Aninha Pontes disse...

Bom final de semana meu bem.
Beijos.

Marcelo F. Carvalho disse...

Minha mãe também foi as duas coisas. É claro que somos amigos inseparáveis hoje...
Pô, Cris, lembrei da minha adolescência, anos 80 chagando ao final, mas com gosto (até hoje) de Pink Floyd, U2 e companhia).
Abraço forte!
E obrigado.

Cris disse...

Aninha, querida...

De volta para voce, todos os desejos.

beijão

Cris disse...

Marcelo,

Que delícia "ouvir" teu depoimento. Esses grupos que voce citou fizeram parte da minha 2a. juventude ( depois que me separei ) ...mas isso é assunto para outro texto.

Beijão dos maiores.

Bete disse...

Passei pra deixar um beijo e dizer que seu depoimento é uma aula de vida.Pura realidade.

Bete disse...

Ola querida
Recebi uma simpática missão, que repasso à você com o mesmo carinho. Dê uma olhadinha no Interagindo e fique a vontade para dar ou não continuidade ao Meme.
Bjs

Cris disse...

Oi, Bete, minha fofa:

Tudo feito em atenção ao carinho que recebo e sinto de voce.

beijo, garota

jorginho da hora disse...

Cris, Também acho que não existe inveja boa, mas sabe qual a forma de inveja mais comum e aceita como uma grande prova de amor? O ciume!