13 de janeiro de 2009

Charge: Adam Rabello

ENTRE O PRAZER E O DESAMPARO

Mal saída da adolescência , gostava muito da suavidade de Vinicius de Moraes tanto nas músicas e nos poemas quanto na deliciosa parceria com o quase bonito Toquinho. Achava aquele sessentão um "charme".Me intrigava o "bon vivant" apaixonado pela beleza das mulheres , sem qualquer resquício culpa : " beleza é fundamental" ! Me intrigava especialmente seu eterno poder de sedução , permeando de desejos platônicos corações e mentes de algumas garotas "mais ousadas" da minha idade...
A imagem de um Vinicius de Moraes irreverente, com um copo de uísque na mão e em constante flerte com a vida, foi alterada pelo escritor e jornalista José Castello , autor da biografia Vinicius de Moraes - o poeta da paixão, lançada em 1993.
Um trabalho considerado fora dos padrões da biografia clássica e que me mostrou um homem solitário e angustiado , o qual, refugiado numa mascara de felicidade e sucesso ,escondia uma alma melancolica e atormentada por conflitos interiores .
Ao que parece , Vinicius foi um escravo das paixões e, paradoxalmente, foi justamente o amor seu maior peso e não sua maior fonte de alegria, como pensávamos, uma trilha de decepções por onde caminhou durante 41 anos , desde seu primeiro casamento - num total de nove - somados às incontáveis paixões informais , até sua morte aos 67 anos de vida , em 1980.
Segundo Castello, a vida de Vinicius de Moraes " - fora uma linha irregular em que os grandes momentos de prazer e euforia se revezaram com descidas íngremes rumo à tristeza e ao desamparo .Era um homem de alma duplicada e escravo da paixão, a qual definia como um amor eterno enquanto dura."
A afirmação de que o poeta amava muito mais o estado de sentir-se apaixonado do que propriamente a pessoa ao seu lado, não me parece nenhuma heresia.
O que voces acham?


Ao poeta, de tão sozinho
Tudo pouco se lhe importa
E por muito delicado
Faz um carinho na morte
[...]
A morte sorrí feliz
Como quem canta vitória
Ao ver o poeta tão triste
Tão fraco, tão provisório.

Vinicius de Moraes - Romance da Amada e da Morte, Montevidéu, 14/10/1958
Fonte: Revista Bravo - O melhor da Cultura em janeiro de 2009.
__________________________________________

Gente querida:

Eu ia postar aquí os comentários citados por email , mas como são tres , vou divulgá-los para que voces os procurem na caixa de comentários e também visitem os respectivos blogs :

1)Valter Ferraz pelo bom humor;
2) Dora por ser tão verdadeira ;
3) Adelino por mostrar o outro lado da moeda e nos fazer refletir.

Obrigada a todo pessoal que comentou, participou, indicou. Foi uma conversa das boas, e que pode continuar nos próximos posts !
_________________________________________________

Pois é. Essa é a Lucy ( in the sky with diamonds ).Ela é uma fábrica de carinho. E de coco ( é assim, agora? ) Minha hóspede companheira enquanto o filho e nora viajam.

Beijos pra todo mundo.

26 comentários:

Aninha Pontes disse...

Volto já já.
Tem alguém me chamando.
beijos

valter ferraz disse...

Cris,
Vinicius de Moraes era um poeta. Não "poetinha" como o denominaram. Poeta, na verdadeira acepção da palavra e como tal viveu intensamente de paixões. Está aí uma boa motivação para discussões: pode alguém ser poeta se não sofrer de paixão? Acho que não. Paixão é o motivo principal que extrai os mais escondidos sentimentos do ser humano, o poeta apenas expõe em palavras.
Toquinho soube ser o mais fiel parceiro do Poeta, transformando em acordes tudo o que ia pela alma de Vinicius. Outro exemplo: Victor Martins e Ivan Lins. Um cantava o que o outro sentia.
Bom, é o que penso. Quem sabe mais alguém acrescenta?
Menina, corrija o nome do amigo vascaíno. É Adelino, não Avelino. Esse deve ser flamenguista, eu acho.
Beijo, menina

Cris disse...

Aninha,

lembra como nossas avós nos diziam? Dois "Ves" hein? Vá e Volte!

Bejo, querida.

Cris disse...

Valter:

Já corrigí o nome do Adelino, querido, Obrigadíssima!

Esse "poetinha" foi mais um equívoco que faz muita gente pensar injustamente : " Poetões mesmo, são os outros!"...

Beijão, meu amigo.

Georgia disse...

Cris, quem nao ouviu falar em Vinícis? Nao sei. Chamá-lo de poetinha é a maior inveja de quem o fez.

Mas todo bom poeta tem que ter esse mundo de experiências.

Apesar de gostar muito dele, nao gostaria de ser uma de suas esposas, pois fidelidade prá mim é fundamental.

Um beijo e cuida dessa pérola que está ai com você. Linda, linda!

Aninha Pontes disse...

Cris minha querida, o que sei, é que gostava de Vinicius. Agora se era feliz ou infeliz, já não sei, mas também não muda nada prá mim.
Muitas vezes as pessoas procuram seu próprio sofrimento, escolhem ser infeliz, e usa uma capa para mostrar o que queriam e não o que têm.
Bobagem, na minha opinião. O que vale é o que sentimos. Isso é só nosso.
Mas tudo isso para dizer, que continuo achando o cara muito bom no que fazia. E as pessoas que são muito boas, costumam incomodar.
Demorei, mas voltei. Era uma freguesa, e jpa fiquei na máquina.
beijos linda.

Jens disse...

Oi.
Normal. Mora dentro de todos nós um palhaço triste. Ou não?
Beijo.

Cris disse...

Georgia,

Também acredito em amor e fidelidade ; paixão já é outro departamento , digamos, mais volátil...

Beijão, querida.

Cris disse...

Aninha...

O susuto maior de saber-se Vinicius triste e desamparado era justamente a imagem que ele gostava de manter: a de um homem que tirava a vida ( e as mulheres ) de letra...

beijo, linda

Cris disse...

jens...

Tens toda razão. As vezes até mais que um.

beijo, lindo.

Flor ♥ disse...

Oi, Cris... também desconhecia esse lado tão solitário do poetinha... afinal, para ser poeta tinha mesmo que ser assim: sofrer de amor e paixão! E nisso ele era mestre!

Grande beijo prá ti e um carinho prá tua Lucy lindinha!

ery roberto disse...

Cris, primeiro perdoe-me o absenteísmo que tenho cometido nas visitas aos amigos. Isto, porém, independente dos reais motivos, não representa esquecimento. O absenteísta é punido pela saudade.

Bem, querida, eu conheço duas versões para o apelido "Poetinha". Uma delas dá conta que Vinícius recebeu esta alcunha porque viveu à época de Carlos Drummond, que era chamado de "Poeta". Questão convencional, acredito, de mero estabelecimento hierárquico pela importância deste. Enfim, Poeta e Poetinha, sem ser dupla sertaneja, coube perfeitamente sem demérito algum a Vinícius. O que sempre importará será a beleza do denso teor da sua obra.

A segunda explica que "Vinicius teve a felicidade de poucos quanto a continuar jovem, independente da idade”. Deixar seu status de diplomata e a vida social que isto lhe obrigava, para mergulhar na boemia e na MPB, aproximando-se da cultura negra, lhe rendeu o apelido de Poetinha, pois os críticos o consideravam um poeta de menor importância.

Menos mal que a História resgatou este conceito. Vinícius, como todo poeta, devia ser triste. O extravasamento que testemunhamos certamente tem tudo a ver com o que bem lembrou o Jens.

De qualquer forma, e não importa a forma como viveu, como tratou as mulheres, se sofreu com todas as suas neuras interiores, é impossível pensar na poesia tendo que excluir Vinícius. Isto diz tudo.

Saravá!

Ufa! Absenteísta tem esta mania de querer colocar tudo em dia de uma vez. Desculpe o tamanho do comentário.

Beijão querida.

Grace Olsson disse...

Cris, creio qeua paixao nos movimenta.Sem ela, nada somos.Outro dia, eu tive um entrevero com um blogueiro que escreveu dizendo que a paixao é nociva, enlouquece e vira a vida da pessoas e dos demais um ifnerno.,EU NAO ACHO.PRECISO DELA PARA VIVER, AMIGA. E VC SABE DISSO

SEM ELA, NAO CAPTO IMAGENS BONITAS.BEIJOS E DIAS FLEIZES

Freackly disse...

Adoro Vinícius

Cris disse...

Oi, Flor...

Então, eu também desconhecia, apenas intuia o lado triste dele. Paixão entristece? Talvez... Amor não.

beijo, querida

Cris disse...

Ery, querido absentista amigo ( rsrsr fui obrigada a pesquisar!!!)

Mesmo ausente, vou te visitar sempre , viu? De amigo não se cobra presença somente, temos que ir atrás das saudades...

Olha , a casa é tua, faça o comentário com quantos megas quiser, tá bom???

( só não demore muito pra voltar..rsrsr)

Beijão, querido.

Cris disse...

Oi, Grace...

Concordo com voce... assino embaixo e reconheço firma!

beijão, querida

Cris disse...

Oi, Freackly...

Obrigada pela presença, viu, garota?Adorei teu modo sincero de ser lá no teu sítio.

Beijão.

Jonice disse...

Momento nostalgia: lembrei do presente/herança no meu aniversário. Também lembrei do show no ginásio de esportes em Mogi, a gente pasmou quando a garrafa de uísque secou em duas horas.

Beijo :)

Aninha Pontes disse...

Voltei para mandar um beijo à Luci.
Desculpe a grosseria.
Beijos às duas.

Lola disse...

Minha "minina",

As pessoas pensam que o sucesso, o dinheiro e as paixões fazem a felicidade de um ser. Mas, não é isso que os fatos nos mostram. Triste deve ser uma pessoa que vive das paixões e não consegue amar às pessoas por quem se apaixonam.
Como eu sempre digo a uma amiga: “Não adianta pular de galho em galho quando a paixão acaba, o verdadeiro sentimento que trará sua felicidade está exatamente no carinho, companheirismo e amor que fica após a passagem "de uma paixão". Sentimentos estes, que lhe darão a capacidade de se apaixonar por várias e várias vezes pela mesma pessoa. Isso, se você não se precipitar e fugir.” Uma pessoa que vive atrás de paixões, sempre estará sozinha, pois todos em sua vida serão passageiros, como a própria paixão. Triste.

Cris, você tem uma menina igual a minha, só que aqui, ela se chama “Kika”.


Beijos, beijos, beijos...

PS: Estava respondendo aos comentários em minha casa e esbarrei em você, que ótimo! :)

Cris disse...

pois é, Joquita...

Éramos umas tolinhas, não?
Em parte permanecemos...rsrsr

beijo, querida

Cris disse...

Aninha do Bem... Pára! e lá voce é capaz de alguma grosseria???

beijão, linda...Lucy se foi. Estou pensando em pegar um cão aquí para casa...

Cris disse...

Oi, Lola, querida..

Ainda bem que matamos um pouco as saudades hoje, não?
Não vou julgar os amantes das paixões, tento administrar minhas trombadas de percurso...rsrsrs

Beijo, lindinha

Philip Rangel disse...

O mundo blogueiro é vasto mesmo....passei em um blog amigo e achei o seu....conteudo..poesias...noticias....
blog q te faz voltar sempre...participar....

parabens pelo conteudo aqui apresentado.....

abraços

Philip Rangel

Cris disse...

Oi, Rangel,

Adorei tua visita e já fui até Minas, te visitar.

Volte .

beijão