7 de outubro de 2008

Vou voltar...


Castelo de Beja.Foto: João Espinho

Há pessoas que não suportam o amor.Deve machucá-las. Um sentimento de tristeza ainda ronda por aquí . Intuição mais uma vez cumprida, profetizada.Ainda bem que não acerto sempre.

Gente: Até agora não sei dizer quem perdeu ou ganhou aqui na minha cidade adotada. Se posição ou oposição.A oposição era posição até alguns meses atrás.E a posição virou oposição da própra posição. Coisa esquisita. Nada muda.Bom. Já tive paixões político-partidárias quando o pai pagava minhas contas e eu podia idealizar um mundo melhor pelas mãos dos políticos.Mudei. Um filho para educar e meus pais que envelheciam rapidamente , se tornando filhos dependentes, me fizeram optar pela postura técnica ,tão somente. O bom dessa opção é que o trabalho técnico, independente do rumo político que a cidade toma, “ pinga mas não seca.”

Até meados de dezembro meu foco é profissional. O período pós eleições começa agitado .Finalmente e ainda bem . Com a política já definida por aqui os empresários – construtores já estão descendo dos muros para novos investimentos. Que venham projetos! .
Nesse fim de semana formatei um curso direcionado aos jovens profissionais de arquitetura para os dois próximos meses. Estou igual aos japoneses...plantando arroz em cada pedacinho de chão. Ficarei rica?Não, Pudera!. Apenas quero voltar a Portugal no próximo ano. O mealheiro básico e vazio se prepara para receber as economias.

Uma semana bem produtiva , pessoas queridas.Adoro vocês.

Beijos

27 comentários:

Edu e Mau disse...

Bom, eu prefiro ser posição: de quatro, papai-papai, o que seja. Me leva pra Portugal contigo!!!!!!!!!

Jonice disse...

Eba!!!!!
Projeto lindo :))

Bacci

Dora disse...

Ah! Cris. Entendo bem quando fala "que o trabalho técnico independe do rumo político"...Falo com relação ao meu marido, que é engenheiro e "penava" com as ingerências políticas!
Eu não tive esse problema. Amém!
E esse projeto de voltar a Portugal é um desejo a nortear suas ações agora. Gostei! Vamos trabalhar!!! E amealhar. Por uma causa linda! (A política seguirá seu rumo(dela) inexoravelmente...)
E o projeto de amar, segue junto com a viagem? rs
Beijos prá você!!!
Dora

Paula Calixto disse...

Esquisito mesmo!

[risos]

E que o arroz brote, lindona.

Beijos, flor.

Aninha Pontes disse...

Pois que venham projetos, que venham jovens querendo aprender muita arquitetura.
Que os planos de minha querida e linda amiga se concretize, Portugal, e claro, como disse a Dora, o amor.
Sabe, já passei por situações, que cheguei a pensar, jamais mudariam, a meu ver, não tinha mais onde afundar, mas derepente, luzes começam a brilhar, e começo a ver tudo masi claro, mais e mais, e quando menos percebia, já era dia de novo.
Será assim, creia nisso.
Um beijo meu bem.

adelaide amorim disse...

Também quero voltar a Portugal, que terra bonita!
Isso não acontece só no Brasil, mas por aqui a política interfere onde não deve e acaba aguando até mesmo projetos que seriam fundamentais pra melhorar as condições de vida da população. Isso não muda, e o sentimento de culpa o governo expressa em bolsas família e que tais.

Beijo e muito sucesso para os planos ;)

Janaina Amado disse...

Seu texto me deixou com uma saudadona de Portugal, onde morei um ano, reencontrando tanto da gente em cada esquina, aldeia, olhar. Também quero voltar lá!

Edu e Mau disse...

Bão, não sou um bicho político, minha linda. Prefiro falar de cinema, namorar, beijar muuuuito. Mas os tais prefeitos mudam a minha vidinha sim - geralmente pra pior! E nem é que eu defenda a tia Marta. Mas o tal bilhete único ajuda bastante. Sei lá! Melhor pensar no que está passando no cinema, né? :-)

acqua disse...

Hummm. Agora deu uma saudade gostosa de Coimbra. Mas vai ficar só na saudade mesmo por enquanto. Meus pés ficarão aqui em São Paulo até meados do próximo ano.

Hei. Como você está? Espero que melhor que ontem e amanhã muito melhor que hoje. Abraços meus...

CRIS disse...

Edu e Mau Delícias...

Se te levo? Claro! levo os dois, se quiserem - no "rachidi" fica até mais barato!.
Puxa, que posição político -erótica, essa, Dú...rsrsrs

Você é ótimo!

CRIS disse...

Oi, Joquita... E viável, né? só trampar muito e segurar a grana.Nossa, falei como nos velhos tempos...rsrsrsr

Beijão, linda.

CRIS disse...

Dora, minha querida...

O projeto de amar segue dentro do coração, por onde eu vou. Sabia disso, não é?
A política é tão obtusa que interfere numa área que fundamentalmente precisa de continuidade apolítica: planejamento urbano!.

Beijo, Dora.

CRIS disse...

Paulinha:

Vai brotar, querida, vai brotar.

Espero que as coisas tenham melhorado por aí, tá bom? Grande beijo.

CRIS disse...

Aninha...

Você falou uma coisa que também sempre me aconteceu : existiam situações que pareciam não ter solução ( sempre $ ). Quando quase batia o desespero, aparecia um projeto, uma expectativa, uma trégua. O pessoal "Lá de cima" vigia e é atento.

Beijo, cara mia.

CRIS disse...

Janaina...

Aceito companhia, viu? rsrsr

Beijo, linda.

CRIS disse...

Edú..

Você está mais é certo.Beijar muuuitooo ao invés de analisar Dona Marta ou Kassabs da vida.

Menino sábio, esse Delícia.

CRIS disse...

Oi, Lunna, minha fofa...

Não necessariamente nessa ordem que você falou, mas estou bem...rsrsrs. Aderí à blogagem coletiva, viu só??? O difícil será escolher...

beijão.

CRIS disse...

Adelaide...

Encerrarei esse bloco de comentários com você...

Vivé de perto essa brincadeira chamada política no Brasil quando fui Secretária de Planejamento. Desanimei quando assistí projetos importantíssimos e ótimos serem engavetados para não dar crédito ao autor, pode? Planejamento urbano deveria ficar fora das vaidades.

beijo, linda, torça por mim, está bem?

Beijão.

Jorge Elias disse...

Olá Cris!

Venho agradecer seus comentários em meu Blog.
Durante as eleições estive por SP e observei os paradoxos que vc comenta em seu texto.
A disputa pelo Planalto começa por aí!
Quando à foto... Estive em Portugual, participando de um evento, no ano passado - fiquei apaixonado!
Pelo seu texto, vc lida com arquitetura ... Um aspecto que me tocou muito em Portugual foi o incremento de empreendimentos imobiliários, possívelmente secundários a inclusão na União Européia.
Bom, não é esta minha praia, disto nada entendo... Vou ficando por aqui com meus poemas, deixando um convite para novas visitas.

Abraços,

Jorge Elias

Ricardo Rayol disse...

Pelo menos você foi :-)

sandra camurça disse...

Cris, já tive paixões político-partidárias, não tenho mais. Entretanto ainda creio que o socialismo é o caminho certo. não esse socialismo autoproclamado pelos Estados e pelos políticos mas o socialismo dos movimentos sociais que estão aí, na luta, pressionando os gorvernos.
Beijo e sucesso no curso!

Magui disse...

Fazer planos é fundamental.Vc está certíssima.

CRIS disse...

Sandra...

Obrigada pelos votos, linda. Vou precisar mesmo. Sorte e trabalho.

Tão importante quanto a ideologia política ,ou não, na qual acreditamos ,são nossas atitudes . Elas devem ser coerentes com essa ideologia.Sem o que não faz sentido. Vira discurso.E eu nunca conseguí ser coerente .

Te admiro pela convicção que demonstras. Gosto de gente assim.

Beijo, garota.

CRIS disse...

Oi, Magui...

Que bacana você aquí. Planos, projetos, sonhos...è o que justifica. Além do amor, claro.

Beijão, linda.

Edu e Mau disse...

Cadê o post que devia estar aqui? Falsa generosidade... característica tão mesquinha quanto o egoísmo, só que disfarçada de bom-mocismo! Um perigo!!! Leia Flavio Gikovate! :-)

P.S.: A Cris a que eu me refiro hoje é você mesma, viu? Beijo!

CRIS disse...

Edú, meu amor...

Viu só? mudei o rumo da prosa...rsrsrsr Beijo, lindo.

Divã do Masini disse...

OIeeeeeee...

Você não sabia quem tinha ganho?Esquenta não moça. Infelizmente, hoje, não importa quem vai ganhar, pois quem vai perder são sempre os mesmos.

Kisses