15 de fevereiro de 2009

TEMPO
Hoje é minha primeira participação na Tertúlia Virtual , pilotada pelo Eduardo e pelo Jorge , com temas novos a cada mês, sempre nos dias 15. A razão? Fiquei sabendo lá, na Central de Relacionamento e aderi imediatamente à idéia: conhecer e se relacionar com novos blogs, novas culturas, novas visões de mundo.Fazer amigos.
Fora a delícia que foi encontrar muita gente do meu Garimpo por lá.

Nessa estréia ,não conseguirei ser criativa, me deixo pressionar pelo tempo.E hoje é domingo, dia dos meus velhinhos. Estou atrasada .Na casa deles,o tempo é diferente, elástico, muito maior que na minha. Não há computador ,o dia começa muito cedo , são metódicos, focados.O almoço é servido religiosamente ao meio-dia! Depois da cozinha arrumada ( 1:15h) , faço-lhes companhia para ver um trecho do Silvio Santos - que parece interminável .Na casa dos meus pais há o milagre da multiplicação dos minutos.
À tardinha volto. Preparar a semana profissional ,aulas, receber a visita do filho, caminhar, ler o que falta ,organizar a casa. Rapidamente é tempo de dormir, descansar. E passar a semana no meu tempo: curto, ágil,espremido, ausente, escorregadio.Mas é um tempo feliz.Talvez o mais feliz de todos os tempos.

Até o próximo dia 15, pessoal.

Obrigada pela força, Eduardo.

Pessoal, grande beijo.

55 comentários:

Eduardo P.L disse...

Cris,

apesar do atropelo de última hora sua postagem saui maravilhosa! Falou do seu tempo. Nada na vida é mais importante que ele!
Só faço um reparo, esta Tertulia tem um co-autor e dono do tema deste mes, que é o JORJE PINHEIRO, do blog Expresso da Linha, de Lisboa! Cada mês um escolhe um tema. Este foi muito feliz. O próximo será meu!
Conto com você! Durante a semana, se tiver TEMPO procure ver o que os outros 80 participantes falaram sobre o TEMPO!

Bjs e obrigado por ter aceito o convite!

António Oliveira disse...

É a magia do tempo que faz destas coisas.

Ruvasa disse...

Viva, Cris!

Pelo que constato, há uma coisa que não acontece com o seu tempo: o desperdício.

Ainda bem para si, ainda bem lara quem a rodeia, ainda bem para todos.

Abraço

Ruben

Georgia disse...

Cris, adorei te encontrar este mês na Tertúlia. Esse tempo que vc conta com seus pais eu os tive na casa do meu avô. Nossa, ele fazia umas cocadas deliciosas onde cada um a recebia depois do almoco. Me deu saudades e água na boca agora.

Um beijo grande

Jens disse...

Oi Maria Cristina:
Já disse lá na Georgia e repito aqui: o tempo é o mestre da vida. Mais não digo (inclusive a piadinha que ia fazer por causa do teu número lá no Tertulia) porque não tenho tempo - estou assistindo o Silvio Santos.
Um beijo e os votos de uma excelente tarde de domingo.

Flor ♥ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flor ♥ disse...

Oi, Cris!

Sempre acho tudo tão lindo por aqui... teu post tão cheio de ternura... deu-me saudade dos meus pais!

Beijinhos carinhosos!!!

Señor R disse...

Muy bonita. El tiempo según el espacio donde se vive ese mismo tiempo :)

Saludos.

Luis Bento disse...

Deliciosos..gostava de ter um tempo assim... elástico...

expressodalinha disse...

Você aproveita bem o seu tempo, fazendo outros felizes com a sua companhia. Há quem por mais tempo que tenha não consiga essa proeza. Gostei muito da sua participação e espero vê-la mais vezes neste cantinho da blogoesfera. Por favor não se preocupe com quem é quem. Esta é uma Tertúlia de todos nós!

ery roberto disse...

Oi lindona! Que bom que você também resolveu participar. É muito legal sair por aí conhecendo outros blogs que - pelo menos num dia - estão tratando de um mesmo tema. Depois, amizades novas são estimulantes, você sabe bem disto.

Verdade o que disse no post. O tempo das gerações são diferentes. E o milagre da multiplicação dos minutos existe, é véro! sinto isto também na casa dos meus velhinhos a cada vez que vou lá.

Beleza, valeu CRISridíssima. Um beijo.

erupção_do_ser disse...

Sentirmo-nos bem com o tempo significa sentír o tempo em harmonia com o universo onde tudo gira...

Aqui gira com felicidade, proque não gira sózinho... mas sim com a "família"...

Adorei!

Dora disse...

Queridíssima. Seu tempo é o da modernidade, seja lá o que esse termo abarque...Deve se referir ao seculo XXI...Mas, eu prefiro o tempo de seus pais. Com certeza. Digam o que disserem, eu sempre vou amar os minutos lentos dos tempos de outrora. Vivia-se com força e intensidade, por paradoxal que pareça.
Beijos, moça moderna!!
Dora

Adelino disse...

Cris, veja como o tempo é algo muito relativo. Para você é curto, para seus pais, longos. Mas todos felizes ao seu modo, o que também é outra coisa extremamente relativa.
Não espere o próximo dia 15. Como bem disse o Eduardo, dê uma olhadinha naquela lista - se tiver tempo, claro...
Abraços.

Cris disse...

Oi, Eduardo,

Grata pelo carinho e estímulo. Deu tudo certo , sim, e adorei participar.
Já corrigí minha falha , Jorge já está aquí.

Aos poucos vou visitando o pessoal, sim.

Beijão.

Cris disse...

António,

Concordo quanto a magia do tempo. Além do amor e do prazer de se estar com quem gostamos.

Beijão, lindo. Vou te visitar em breve.

Cris disse...

Ruben,

Obrigada pelo carinho. Certamente haverá tempo também para retomar meu contato com Portugal, que tanto amo. Sabia que esse blog foi elaborado quando voltei de Lisboa, há 4 anos? Chamava-se "Doutroladodomar".

Beijão.

Cris disse...

Georgia, lindinha...

Também adorei, linda. Muito.

beijo

Cris disse...

Oi, Jens..

Concordo em gênero , número e coração. Mas é um mestre que as vezes cobra bem caro!

Boa semana. Beijo.

Cris disse...

Flor bela...

Voce me olha com teus olhos, linda. Só poderia ver ternura aquí.

Beijão, querida

Cris disse...

Señor R:

Obrigada pela visita, pela simpatia. Poderei falar em portugues contigo?

Beijão.

Cris disse...

Bento,

Eu também gostaria de ter o tempo dos meus pais, mas para ter a minha vida como é. Espertinha, não?

Obrigada pela presença.

Cris disse...

Oi, Jorge.

Te agradeço muito. Essa tua postura, desapegada de vaidade , é rara na blogosfera. Mas já retifiquei a chamada mesmo assim. Por justiça.

Grande abraço.

Cris disse...

Ery...

Adoro teus mimos;olha, até que demorei para encontrar esse pessoal, não é? Mas nunca é tarde. E voce foi um dos responsáveis por esse encontro.

beijão, amigo.

Cris disse...

Erupção...

Não só do ser que és erupção, mas da vida.

Feliz por ser encontrada .

Beijão.

Cris disse...

Já comecei ,Adelino , no meu tempo , mas bem devagar. Para nunca mais acabar.

Grande beijo.

ery roberto disse...

Adorei Cris! Agora só vou te chamar de "hippie de butique"! (rsrsrs)

DO disse...

É aquela história,Cris,o tempo é sempre muito relativo,variando caso a caso. Pra vc, os minutos acompanhando SS eram intermináveis. Mas ,certamente,aos seus pais,o tempo ao seu lado passou muito rápido.
Beijos e uma otima semana!!

Divã do Masini disse...

Adorei a idéia do Tertúlia. Tentarei vingar uma participação na próxima chamada.

abraçosssssss

adelaide amorim disse...

Você tem uma visão bem justa e verdadeira do tempo que toca a cada um. E adorei o milagre da multiplicação dos minutos. Sem falar na ternura que escorre de seus textos, e que faz tão bem.
Beijo dos grandes, viu, menina?

acqua disse...

Boa tarde Cris, tudo bem com vc? Eu espero que sim... Sabe que eu sempre achava engraçado o tempo na casa dos meus avós. Era sempre mais lento, mais diferente, menos intenso, mais divertido. Era uma caminhada lenta por uma estrada de terra com o horizonte bem a sua frente. Era possível alcancá-lo. Era mágico...
Adorei o seu post, estou aqui respirando fundo para sentir isso tudo dentro de mim.
Beijos meus caríssima...

Aninha Pontes disse...

Pronto achei um tempinho para vir te ver.
Lin do isso, de você dividir seu tempo, para curtir e mimar seus velhinhos.
Faça isso, curta-os, você pode.
Eu já não posso mais, o tempo me roubou isso.
Beijos linda.
Ador ver ser rostinho lá em casa.

Cris disse...

Ery:

Voce pooodeee!!!

Beijão.

Cris disse...

Oi, Do...

Acontece isso mesmo. Quando me levanto do sofá para ir embora, eles logo dize: "Já??????, mas começou agora!!!!"...

Beijo, Do.

Cris disse...

Masini...

O pessoal é de primeira!Voce vai adorar!!!

Beijão, lindo.

Cris disse...

Oi Adelaide...

Obrigada por me ver assim, com essa ternura toda.

Beijo, querida.

Cris disse...

Oi, Lunna,

Nos finais de semana comprovo que o tal oásis no deserto, afinal, existe.

Beijo, cara.

Cris disse...

Oi, Aninha,

Puxa vida, que saudade de voce!
Por favor, arrume sempre um tempinho para mim.Qualquer coisa, bota o Bem no comando da casa e vem pra cá!

Beijo para os dois.

Marcelo F. Carvalho disse...

Eu tinha esse tempo na casa do meu padrasto, em Guaratiba.
Hoje, tudo é muito veloz, difícil.

Aninha Pontes disse...

Cris linda, ah! ah! ah!, adorei a história do macarrão, do maracujazeiro.
Malvada você heim?
Beijos.

PS: O pior vc não sabe, o comandop da casa, ele até toma prá ele, mas a máquina de costura é que não dá.
Beijinhos

Dulcineia disse...

Viva Cris,
Gostei muito do post!
Parabéns por conseguir acompanhar o tempo dos teus "velhotes". Parabéns por o conseguires entender, uma aprendizagem que requer muito amor.
Desacelerar, ficar "no tempo" deles, sem ansiedades ou irritações...
Comoveu-me o teu post. A lembrar-me que às vezes falho as visitas aos meus e que depois, depois... pode não haver tempo para as fazer...
Obrigada por uma partilha tão genuína, a despertar a consciência!
Sorrisos meus
Deixo o convite para passares pelo arco-íris, um espaço para espalhar a alegria. Seria um privilégio ter uns sorrisos teus por lá.

Bete disse...

Eu quero que o tempo seja como na casa de seus pais.
Deixei um recadinho lá no post sobre o meme.
Bjs no coração

Cris disse...

Aninha...

Voce misturou alhos com macarrão, mas não faz mal, linda...Voce pódeeeee!!!


Tá tudo certo , linda, a máquina de costura tem mesmo que ficar com voce...Nunca mude isso...rsrsr

Beijão!

Cris disse...

Dulcineia, querida...

Já fazes parte da família aquí do garimpo, viu???

Amei voce!!!

beijo.

Cris disse...

Oi, Bete,

Os velhinhos são fofos.E eu passei da condição de filha para a de mãe!.

Beijo, querida.

Cris disse...

Marcelo,

Costumo dizer que a casa dos velhos é um oásis num deserto que prefiro ter em doses homeopáticas...

beijão, lindo

Emiele disse...

Olá Cris, minha amiga.
Que bom post e vê lá quantos comentários... É tão bom a gente saber que nos lêem, não é?!
Como não sei se o link funciona, vinha também avisar que deixei um convite lá no meu blog, para colaboraras numa brincadeira.
De acordo?

Dulcineia disse...

Querida Cris,
Obrigada pela tua visita.
Olha, não são intimidades, longe disso. É o amor posto em prática. Na sua forma mais pura e sublime, na sua tradução de uma evolução e dimensão, como pessoas, muito trabalhada.
Em jovem, nas filosofias, aprendemos 3 tipos de amor: o de eros (sensual, carnal), o filial (amizade e cumplicidade) e o ágape (a capacidade de renunciar pelo bem estar do outro, de saber estar ao lado dele)
E, foi um dos posts que mais me "mordeu" a consciência - por não estar mais presente com os m/velhotes. Naquela fase em que os filhos se fazem à vida e a lógica da vida nos diz "estás a sentir-te só? e os velhotes? e o teu projecto afectivo?"
Parabéns Cris. Ágape não é para todos. Eu sou ainda muito egoísta e não o atingi.
Visita-me no meu jardim, critica aquilo a sério, sem papas na língua - o objectivo é ser um espaço aberto - será que te posso convidar para nele participar? Seria um privilégio, ter-te por lá.
Quanto ao "linkar-me" não entendo ainda nada disso, rsrs
Beijinhos e continua assim . Diz-me algo, depois, ok? o convite está feito!
Sorrisos, deste lado do Atlântico

Cris disse...

Dulcineia...

Verdade, linda. Amor posto em prática. Estarei sempre pelo teu sítio.

Beijão.

tony disse...

Aqui em casa também sai ao meio dia, quase um crime para [ex]universitários que viram a noite fazendo seus trabalhos, heueue... mas não deixa de ser interessante perceber esta relação que o tempo tem conosco, nessa "infamidade de quanto mais precisarmos dele, menos o teremos"... ótimo feriado, beijos!

Eduardo Santos disse...

Olá amiga tertuliana. Ainda ando visitando aqueles que participaram no "Tempo". Que maravilha descritiva (real) do seu tempo, isso é mesmo tempo quotidiano, aquele que no nosso dia a dia nos absorve a acção, o coração e o pensamento. Fui surpreendido com algumas participações, por vários motivos. Sem dúvida que foi muito proveitosa a oportunidade que tive de apreciar a diversidade que o ser humano representa. Sinceros parabéns pelo seu texto e desculpe o tempo que lhe fiz perder. Tudo de bom para você.

Conceição Duarte disse...

Minha querida, nao tinha visitado seu blog, que horror! Adorei te ver no meu e vir aqui no seu foi demais né?

Seu tempo é curto, mas disse coisas lindas e verdadeiras nele.

Meu pai morreu ha 3 meses. Foi horrível, mas tinha essa preocupação de ficar com ele. Ainda mais por serem separados, foi barra.

Mamis vou ver todos os domingos, ou a maioria deles....

E entendo bem quando disse que os minutos por lá se multiplicam... Isto acontece quando temos nossa vida corrida, e a deles, mais sossegada e ver Silvio Santos, por mais amor que temos a eles, é complicado.

Lindo see post, lindo demais!

bjusssssssssssssssss voltarei e te seguirei, CON

Anônimo disse...

Minha querida, nao tinha visitado seu blog, que horror! Adorei te ver no meu e vir aqui no seu foi demais né?

Seu tempo é curto, mas disse coisas lindas e verdadeiras nele.

Meu pai morreu ha 3 meses. Foi horrível, mas tinha essa preocupação de ficar com ele. Ainda mais por serem separados, foi barra.

Mamis vou ver todos os domingos, ou a maioria deles....

E entendo bem quando disse que os minutos por lá se multiplicam... Isto acontece quando temos nossa vida corrida, e a deles, mais sossegada e ver Silvio Santos, por mais amor que temos a eles, é complicado.

Lindo see post, lindo demais!

bjusssssssssssssssss voltarei e te seguirei, CON

Cris disse...

Oi, garoto Tony...

Vá assistir , se ainda não foi, A Curiosa história de Benjamim Button... depois me diz...

Beijo, querido.

Anônimo disse...

Por que nao:)